CRP-BA debate violência contra a mulher e feminicídio

O Conselho Regional de Psicologia da Bahia (CRP-BA, 3ª Região) organizou, no dia 29 de março, a “Roda de Conversa sobre Violência contra mulher e Feminicídio em Salvador”, na sede da entidade. O evento fez parte das ações do CRP-03, referentes ao Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março.

O Conselho Federal de Psicologia (CFP) foi representado pela psicóloga Flávia Cristina Silveira Lemos, integrante da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Autarquia. Flávia abordou a condição das mulheres no que tange à violência de gênero sofrida, no cotidiano brasileiro, e a ligação dos altos indicadores de feminicídios no país, com a proliferação dos discursos de ódio.

“Conduzi a minha fala com o suporte dos trabalhos de Judith Butler, sobretudo, o livro ‘Quadros de guerra’. Assinalei a construção das mulheres e de outros grupos sociais, como inimigos e inimigas, alvo de violências, desigualdades socioeconômicas acirradas e de práticas genocidas de extermínios”, reforçou. 

#DiscursoDeÓdioNão

A integrante da CDH destacou o propósito da Campanha de Direitos Humanos #DiscursosDeÓdioNão, do Sistema Conselhos de Psicologia, face à situação das mulheres, em especial das mulheres negras. Segundo ela, é importante a educação em direitos humanos na graduação e pós-graduação em Psicologia que esteja atenta a esta realidade e procure intervir na formação crítica e socialmente comprometida na promoção e garantia de direitos humanos.

Lemos afirmou que a participação da CDH do CFP é fundamental para estreitar o diálogo com a região e com a categoria, afirmando um compromisso das esferas federal e regional do Sistema Conselhos na promoção, garantia e defesa de direitos humanos com especial atenção à realidade das violências e violações de direitos sofridas pelas mulheres brasileiras. Também foi reforçado o papel do Sistema Conselhos na orientação da categoria de Psicologia e na participação social continuada em prol da defesa da democracia e da pluralidade, diversidade e diálogo permanente com vistas à transformação da realidade perversa da situação das mulheres no Brasil.

Conheça a campanha da CDH do CFP #DiscursoDeÓdioNão

 

0
Seja o primeiro a comentar!
Escreva aqui seu comentário...